terça-feira, 29 de janeiro de 2013

A JOANINHA

                    A JOANINHA

Uma vez a Carmita foi à horta, e encontrou uma Joaninha, que voava, entre as couves e as alfaces, quando se aproximou a bichinha saltou, devagar, Carmita, pôs-se de joelhos e começou a falar, perguntando-lhe se ela não se lembrava dela, a Joaninha desconfiada, respondeu que sim, mas estava um pouco assustada e baralhada.
A menina explicou, que era filha do sr. João o dono da horta, com um sorriso a Joaninha lembrou-se, a Carmita era a menina, que sempre que o pai regava,  descalçava-se e chapinhava nas regadeiras. 
    Eu sei que te assusto disse-lhe, mas não é por mal, eu sou grande e tu és pequenina. És pequenina mas muito bonita, essas pintinhas ficam-te muito bem. Também gostava de voar como tu, ir para todo o lado ao sabor do vento,
és livre vais para onde queres. Olha Carmita não é bem assim , eu tenho muitos inimigos desde insectos a pássaros eu sei lá, eles querem-me comer.
Carmita  não queria acreditar que a vida fosse tão madrasta, de boca aberta a menina começou a pensar qual era a melhor maneira de a Joaninha se salvar. Fechou a boca deu uma palmada na testa e disse achei, Joaninha olhou-a apalermada, mas a menina disse, que ficasse tranquila tinha só de ter cuidado e em vez de andar por cima das hortaliças, teria que come-las por baixo e estar sempre atenta aos perigos.
A menina despediu-se até amanhã,  não te esqueças joaninha sempre alerta e viverás feliz.
Joaninha ainda respondeu, não te esqueças de me procurar por baixo das couves.


                          Xtórias da carmita/Nov/09