domingo, 27 de janeiro de 2013

O RELÓGIO DA LOJA DA BRUXINHA



                   O RELÓGIO DA “BRUXINHA”

Era uma vez uma loja que se chamava “BRUXINHA”,era o Mundo da Fantasia, cheia de cor e Coisas Giras.
Um dia ao jantar, Carmita começou a contar aos filhos e à mãe, que o relógio da loja, ora andava ora parava, estava cada vez mais maluco. Os filhos riam e a mãe encolhia os ombros e nas costas da filha pôs o dedo na cabeça, como se a filha estivesse maluca e foi-se embora.
João perguntou: - o que é que tem o TIC-TAC ? (assim se chamava o relógio) 
- Não sabes amor? O  meu TIC-TAC, anda para, e anda, porque nele vive o ratinho SEBASTIÃO. ele abriu os olhos e o Pedro, sorria com um olhar maroto.
Carmita começou a explicar, todas os dias, quando saio, SEBASTIÃO vagueia pela loja, salta, pula, brinca com os bonecos e quando está e quando cansado, corre para o  Relógio e vai finalmente descansar, na sua atrapalhação, sem querer dá um pontapé nos ponteiros, e o Relógio para.
Outras noites ele corre, sobe desce, lê os livros, dá beijinhos aos amigos (anjos ,ursinhos e bonecos), senta-se no banquinho, espreita por detrás dos quadros, escreve nos cadernos e quando sente que estou a chegar, corre loucamente para a sua casota, escorrega bate com a cabeça na porta, e os ponteiros voltam a andar, escusado será dizer que as horas estão completamente fora de si.
SEBASTÃO é um rato diabinho, tem o nariz arrebitado, e as orelhas em pé. Ele julga que eu  não sei, mas eu pelo canto do olho vejo ele a espreitar-me.
João e Pedro nem criam acreditar, mas nem falavam,  não fosse a mãe se esquecer da história.
A mãe continuava, ao fim do dia ainda a porta não estava fechada,
ia ele em corrida desenfreada para a brincadeira, começando logo com uma cambalhota. SEBASTÃO é feliz e eu também, porque sei que há vida na minha Loja.
Carmita esqueceu-se de tudo, sentia-se cansada, mas muito feliz
João continuava extasiado, mas não disse nada, via-se a surpresa na sua cara.
Pedro estava pensativo, sentiu ciúmes, como é que a mãe permitia tanto atrevimento.
Após pensar um pouco João jurou que um dia quando fosse “grande” ia ter uma loja como A Bruxinha, com um relógio TIC-TAC, e um rato SEBASTIÃO. se isso fazia a mãe tão feliz, e ter aquele brilho nos olhos e um doce sorriso nos lábios é porque era muito bom ter uma lojinha chamada Bruxinha, era tudo magia, e esta magia, trazia muita felicidade.
                  
                            XTÓRIAS DA CARMITA/JUNHO/2009