quarta-feira, 29 de abril de 2015

É Ela disse-me:



              Vive com a tua consciência .

              Não te importes com o que os outros, pensam ou falam de ti.
             O único que te pode julgar é Deus.



terça-feira, 28 de abril de 2015

Inside of me - dentro demi : não desistir



                 O chorar só me faz ficar cada vez mais pisada. Deixei de chorar e comecei a pensar, todos os meus pensamentos levam-me a becos sombrios, gelados, onde não entra um raio de sol. Neste ambiente, tentei sobrepor-me, mas quais os pensamentos que neste beco sórdido e triste, são pensamentos lindos que ajudam a erguer-me, conclusão, é impossível, haver um arco-irís a embrulhar o  meu sonho para no fim eu não desistir.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Inside of me - dentro de mim- sensações


                      Todos os dias tenho acordado,
mal, pois as minhas noites são  tristes, entre pesadelos, o acordar, o pensar, o meditar, é um embrulho de situações,as quais muitas vezes não as sei descrever.
                      Mas nada acontece por acaso, e esta tristeza ainda não me passou, por isso eu carrego este cesto nas minhas costas, tal qual o burro leva as albardas, uma de cada lado.

          Carmita/Abril/1015
        

domingo, 26 de abril de 2015

Inside of me - dentro de mim- sentires



              Dentro de mim, sentires de uma vida em turbilhão, é o meu estado de espírito , ainda passaria por histérica ou meio amalucada sem puder gritar o que me vai na alma, e se o fizesse quem se importaria. Todos reclamam que está mau a vida vai mal....temos comentadores de direita, que todas as semanas, criticam as tomadas e atitudes do governo, mas as últimas   sondagens não dão a vitória, ao Ps nem à esquerda. Com macaquisse o governo vendo o andar da carruagem, este fim de semana comunicaram que vão juntos às eleições.
                    O meu turbilhão, não é um turbilhão inventado, é um turbilhão sentido cheio de desgosto, o que vai ser deste jardim à beira mar plantado?porra o coração continua a doer-me e o nó da garganta ainda não se desfez....

   Carmita/Abril/2014


sábado, 25 de abril de 2015

Inside of me - (dentro de mim 25 de Abril)



               Amanheceu um dia cinzento, estive todo o dia com dores na  minha perna, aquela perna que parti no dia 13 de Fevereiro, Sexta-feira.
               Mais dor, menos dor, é normal, mas no meu coração há um aperto uma tristeza, que ainda não tinha percebido a razão. No decorrer do dia, ou seja logo de manhã em directo, na TV, vi o presidente da República, com cara de quem ia para a forca. Por motivos contrários tínhamos aquela cara de poucos amigos.
               Já é noite e o meu pobre coração ainda não encontrou vontade para sorrir, 41 anos de pois de uma mudança radical na politica Portuguesa, toda aquela alegria a vontade de viver gritar o amor por esta Pátria, só me apetece calar.  Hoje  as contas estão erradas :são os jovens que partem, é o drama dos idosos, são as crianças no limiar da pobreza, é uma sociedade descaracterizada, quantos mais anos vamos ter que esperar, para sorrir num outro 25 de Abril....
             

quinta-feira, 23 de abril de 2015

E Ela disse-me:

E Ela Disse-me:


        A amizade não se mede, não se pesa. A Amizade sente-se e é avaliada ao longo de uma vida.


Carmita/2013

quarta-feira, 22 de abril de 2015

A Vida, a vida



         Cada dia é uma carta fechada. O dia chega com sol ou com chuva mas nenhum é igual ao anterior.
         Vivemos na expectativa de como será, o que vem e como o vamos enfrentar a vida Há ansiedade, há expectativa, uma vontade de sermos felizes, uma vontade de viver em paz, mas logo  na volta de um segundo, tudo se transforma e aquilo que nos parecia luz, torna-se trevas e da paz passa-se à calamidade.
          Então e mais uma vez, ficamos à espera que depois da tempestade vem a bonança. a vida é sempre vivida, consumindo-nos levando a que esta vida seja muito rápida assim vivida, e rápida termina.

      Carmita/Abril/2015



segunda-feira, 20 de abril de 2015

E disse-me:


Andei uns dias com esperança, senti que alguma coisa ia mudar!
Esqueci-me que a Terra leva sempre 24 horas a rodar, a única coisa que muda é o dia após a noite......sinto-me tão só.


sábado, 18 de abril de 2015

Não chores...



                       Não chores dizem-me, não chorar porquê?.Chorar é um acto de nobreza.
                       Quando choro, a tristeza rola com as lágrimas, pelo meu rosto.
                       Quando choro sinto-me um pouco mais calma, o meu coração mais leve, embora sorrir seja um pouco mais dificil.


              armita/Abril/2015

quarta-feira, 15 de abril de 2015

As palavras que roubei

             A utilidade da escrita

Não se coloca o tema da utilidade, porque, pergunto: em que âmbito é útil seja o que for? Interessa-me este resultado: o de que em mim, expressando-se em gramática, em pauta, há uma expectativa ardente, uma ardente pergunta sem resposta, uma perplexidade ardente que me concedem um centro, um ponto de vista sobre a debandada das coisas, coisas centrífugas para diante, nos dias, no caos dos dias, centrífugas para trás, nos instantes mais densos da memória, átomos fosforecendo no caótico fluxo da memória. E então eu sei: respiro nessa pergunta, respiro na escrita dessa pergunta. Qualquer resposta seria um erro. Como eu próprio sugeri algures: um erro das musas distraídas.


    Herberto Helder

quarta-feira, 1 de abril de 2015

E Ela disse-me:

           

     




 Amar, amar, e amar, pode ser a força de um sentir ou a mentira de um dizer.