sexta-feira, 1 de maio de 2015

Inside of me-dentro de mim um tal 1º de Maio

O meu coração balança, ao mesmo tempo está apertado e o nó da minha garganta não passa. Não falei com ninguém, ninguém já quer saber, recordações de uma pateta...Mas vivi, aquele primeiro de Maio, seis dias após a revolução, foi a loucura fomos até Lisboa viver a realidade, da verdadeira Liberdade. Quarente e um anos depois, olho para trás e não tenho duvidas foi o dia mais livre, mais verdadeiro e o mais sentido, mais uma vez nada vai ser como dantes. Carmita/Maio/2015 Ps: viva-se o que se viver, nada vai ser tão livre, tão verdadeiro, tão sublime como aquele dia...