quarta-feira, 29 de julho de 2015

Quando te olhei, apaixonei-me







                            Quando te vi sorriste-me, a tua delicadeza, e a tua beleza, deixaram-me colada ao chão.

                            Nem cria acreditar, que me ia apaixonar outra vez. Na minha vida apaixonei-me três vezes, e agora como vai ser???Olho-te e sinto-me frágil, frágil, como da primeira vez que amei!

                            Como vai ser a minha vida será que me vão deixar amar-te, mesmo que te tenha de partilhar, este meu novo sentimento será eterno,mas muito doce, como costumo  dizer: a doce ternura de amar.


       Palavras dedicadas à minha neta Margarida, da avó que te ama Carnita Charola
       Julho de 2015