segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Morrer com dignidade



                      Passei por ela, estava mais velha, mas ainda se os traços da sua beleza.

                      Voltei e encontrei-a, notei que a vida tinha dado-lhe uma chicotada, e a aquele brilho que lhe era característico tinha-se desvanecido.

                       Muito tempo depois, vi-a estava quase morta, mas continuava altiva. Altivez de uma vida que valeu a pena ser vivida, pois os seus frutos muitos alimentou.

                       Aquela Árvore viveu e morreu de pé, com a dignidade merecida.

 Ps: "As árvores morrem sempre de pé", serão uma lição de vida?????


             carmita/Nov/2013